quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Educação ambiental.


             Meio Ambiental da Região Nordeste (FEMeA).   
           O sentido da Vida no rumo da razão. 
                                                                                                                                                 ANO XVIII
        
          01___de_setembro______de 2.008.

        

      
Excelentíssimo Senhor Presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – Câmara dos Deputados.


     Com esta são 128ª correspondências enviadas a essa Comissão do Poder Legislativo, que tratam dos problemas e soluções sócio-ambientais no NE; problemas ambientais e sociais estão intimamente ligados – não há como desmembrá-los. Todo cidadão brasileiro tem responsabilidade com os problemas e soluções sócio-ambientais do Brasil, mas essa Comissão tem o Dever Constitucional de apontar os problemas, sugerir soluções e fiscalizar o uso e utilização dos recursos naturais, elementos da Vida no Território Brasileiro. Ao longo de muitos anos tenho enviado a essa Comissão e outros órgãos governamentais, material científico que engloba todos os problemas, com a apresentação das respectivas soluções, de uma área chamada semiárido NE, com 1.000.000km² e cerca de 40 milhões de habitantes onde metade da população sobrevive em estado de miséria, doenças, poluição, rodeada de excrementos e fedentina, desempregada, sem perspectiva de futuro, tudo atribuído a uma seca que não existe, de fato.
Quando o nosso Presidente da República afirma pelo mundo a fora que os cento e poucos reais, mensais, da bolsa esmola, alimentam uma família de 5 a 8 pessoas, É Uma Inverdade; quando Sua Excelência prega pelo mundo o aumento da produção de alimentos para humanidade, mas faz opção  pela alimentação do automóvel com o plantio de cana-de-açúcar, mamona, soja, Etc, È Hipocrisia. Quando por inocência, irresponsabilidade ou omissão o Governo ignorou as informações científicas enviadas pela  FEMeA, ao longo de muitos anos, onde consta, de forma irrefutável, incontestável que a seca nordestina não tem nada a ver com escassez de água doce para o abastecimento urbano e produção de alimentos, fica patente que o Governo Brasileiro está cometendo um Crime contra o Nordeste e consequentemente contra a Humanidade.

 Nas inúmeras informações científicas enviadas pela FEMeA a essa Comissão e outros órgãos explicamos que 60% dos recursos  técnicos aplicados no Nordeste em açudagem, poços tubulares, barragens subterrâneas, cisternas, Etc. não trouxeram qualquer benefício – pelo contrário – alimentaram a indústria da seca, que na realidade é cultural; 30% dos recursos financeiros destinados  a essas “obras”  foram para a corrupção, inclusive hereditária, para eleger políticos que permanecem no poder defendendo interesses escusos – sanguessugas do País. No Nordeste há(atual) milhares de prefeitos com 3 e até 18 processos político-administrativos engasgados nos gabinetes da justiça do contra-senso, a maioria candidatos à reeleição, mostrando que o crime compensa. Tem município do semiárido que recebe todo mês 2,5 milhões de reais de Brasília para a prefeitura (FPM+), dos aposentados do INSS e para alimentar os nocivos programas paternalistas e assistencialismo nojento do Governo Federal, representado a única fonte de recursos, já que os governantes municipais (prefeito e C. Vereadores) estão muito satisfeitos com esse presente, porque assim não precisam produzir, e tudo gira em torno de carnaval e futebol. São as regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste trabalhando para alimentar essa farra no Nordeste. Até quando? (de onde se tira e não se repõe, acaba)

  Na minha formação cristã, cívica, patriótica não consigo entender porque os Três Poderes da República Brasileira optaram pela impunidade dos crimes político-administrativo-financeiro (os que estão atualmente pagando representam a milionésima parte dos criminosos) quando se sabe que cada um desses crimes afeta a vida de milhares de brasileiros que deixam de receber alimentos, educação, trabalho, assistência médica Etc. Vossas excelências estão transformando o Brasil em um país bandido, onde somente os fora-da-lei conseguem sucesso. Isto certamente terá um preço que será cobrado com juros e correção de comportamento e atitudes, porque a Justiça de Deus não falha.
Estou tentando colocar todo o acervo científico da FEMeA na ONU porque tenho ciência e consciência de que será útil em outros países que sofrem  da mesma demência  científica do Brasil, mas reconheço que apesar de tantas desgraças política –administrativas tolhendo, sugando a vida dos indefesos cidadãos brasileiros  existe ainda “liberdade de expressão” e, baseado nesse direito Constitucional gostaria que V.  Exa. consultasse o Exmo. Sr. Presidente da Câmara do Deputados se me é facultado o direito de utilizar o “púlpito”, a Tribuna dessa  Casa para mostrar ao Brasil o Relatório que pretendo encaminhar à ONU.

Em tempo!

Há duas formas de o Governo Brasileiro calar a minha defesa em favor do Nordeste: 1)executar, pronta e imediatamente, as medidas para se erradicar a seca cultural nordestina; 2) me pistolar, lembrando que no Nordeste há milhares de pistoleiros que me executariam por 100 reais, que é o valor da munição de 2 tiros, uma garrafa de aguardente, 20 cigarros de tabaco e 4 baseados de maconha; é também o preço de um voto para prefeito/vereador nas vésperas das eleições/08.

  Com os meus protestos de elevada estima e distinta consideração,


     ___________________________________________


      Damião  Medeiros, responsável, ciente e consciente. 
A quem interessar, possa, carta aberta nº 8 remetida à Comissão de Meio Ambiente e Minorias da C. dos Deputados.