terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Educação ambiental.

Na fotografia se ver um catavento que aciona uma bomba de sucção que extrai água salgada de um poço tubular, e junto, na mesma fotografia capim verde, ração do gado, quando tudo ao redor é seco, morto; é uma luz no fim do túnel para essa área do agreste RN onde toda água subterrânea é salgada, e tem as várzeas do riachos com salitre; temos (dsoriedem.blogspot.com) a satisfação de informar que a ideia de plantar (esse) capim  (gramínea) em solo e com água salinizados resulta de experiência "in loc" realizada sob nossa "batuta" nessa área de atuação; Se considerarmos que não se dispõe de água de açudes para o cultivo de ração do gado, tendo em vista que 90% dos açudes estão (2.012/13) vazios ou com lama; que todos os poços tubulares  implantados na área nos últimos 30 anos,  tem água salgada aceitável apenas pela gramínea "pirrichil" (grama rasteira de baixa produção de massa orgânica), é interessante, importante poder plantar a gramínea "capim elefante" com água salgada, ou em solo salinizado; O capim elefante cresce até 3 cm (de altura) com água doce, por DIA, e cresce 3 cm em 10 dias, com água salgada; convém salientar que não se pode lançar a água salgada sobre o corpo do capim - é irrigação no solo; também não se pode cultivar capim quando a água é salgada, e o solo é salgado, lembrando que todo solo argiloso de várzea, do  semiárido, tem salitre, mas o solo argiloso do cerrado não tem salitre, como é o caso do solo onde o capim da fotografia foi plantado; nas várzeas salinizadas, como veremos a seguir, pode-se plantar capim  (este e outros) lançando água do açude (com pouca salinidade) sobre o corpo do capim (espargidores). podemos afirmar que a possibilidade de se cultivar, no verão do semiárido, ração (verde) para o gado é uma grande descoberta.