sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Educação ambiental.

Nas postagens anteriores vimos, passo a passo, em detalhes como a ação predadora do Homem nordestino estabelecido no sertão equacionou os elementos para a transformação de um semiárido em deserto, criando o desequilíbrio de um dos 4 Elementos da Natureza - reduziu a oferta média de chuvas para menos de 300mm/ano, mas que para isso teve de primeiramente eliminar a cobertura vegetal, que é altamente comprometida com o clima; com essas mesmas modificação nos elementos climáticos atmosféricos o Homem nordestino criou, a partir de terras úmidas e férteis, um semiárido artificial de 640.000 km²; A Região Nordeste ainda tem 3 áreas, que somam 630.000 km² (maior que a Região Sul) onde a oferta média de chuvas é maior que 1.500mm/ano, mais de 3 vezes a média de chuvas do semiárido - zona da mata nordestina, onde o Brasil nasceu; Nordeste Amazônico, 80% MA e 20% PI; e Sul da Bahia; em grande parte dessa área úmida  o solo orgânico está contaminado com venenos e adubos químicos,  esgotou-se ou foi eliminado pela ação do Homem; já temos um semiárido em andamento; na zona da mata NE, onde estão  6 das 9 Capitais de Estados NE, está o maior bolsão de miséria do NE; no Nordeste Amazônico MA/PI se passa fome técnica (50%), há muita miséria e doenças, nadando-se em água doce nos rios e lagos, com um lençol subterrâneo de água doe de volume descomunal. A seca brasileira, inclusive na Região Sudeste (MG+SP) é cultural;  e as enchentes são de LIXOS.