quarta-feira, 30 de abril de 2014

Educação ambiental.

Esse capim plantado (para alimentar o gado) atrás da parede de terra de um açude representa o que há de mais característico sobre a seca NE; para os especialistas em agropecuária seria massa orgânica vegetal seca, mas com ótimo valor nutritivo como alimento do gado; para o agricultor, rude, o capim está seco por falta de água; 1) o capim seco, nessas condições, perde 80% da água do corpo (e portanto a seiva) por evaporação, com perda pela fuga de água para o chão seco (que suga a água do corpo do capim) e também por gravidade, quando as células, mortas, não tem mecanismos de retenção dessa água; Mas  essa perda de água acontece principalmente por que o capim elefante (em questão) tem ciclo de vida de 2 ou 3 anos, MAS tem de ser aparado, colhido a cada 3 meses, quando o caule e as folhas atingem a maturidade, encerrando o ciclo de crescimento, envelhecimento, secando; 2) nestas condições o capim perdeu 80% da água do corpo,   com essa perda de água perdeu 80% da matéria orgânica (lipídios, carboidratos, açúcares, vitaminas) e nutrientes minerais, e seus talos não passam de celulose, uma bucha que enche o bucho do animais, mas não alimenta; quer dizer: Por falta de Conhecimento os técnicos em agropecuária, e o Homem rude do campo jogou a SECA para a falta de chuvas, o que não é o caso nesse momento, nessa área.