domingo, 28 de abril de 2013

Educação ambiental.

Neste ângulo fotográfico alguns prédios abandonados, deteriorados da sede da cooperativa agrícola do assentamento Lagoa Nova, em Riachuelo-RN; as terras de Lagoa Nova foram uma fazenda de criação de gado que faliu; essa fazenda pertenceu ao ex-governador  Juvenal Lamartine que governou o RN de 1.928 a 1.930, jornalista e advogado natural de Serra Negra - RN, cassado pela ditadura de Getúlio Vargas em 1.930; Na década de 70, quando o Brasil chegou a ser a 7º potência econômica da Terra, o então governo militar, na ânsia de fazer o País crescer a qualquer custo, distribuiu, sem qualquer critério técnico científico, dinheiro público, fácil, para empreendimentos; Como se diz no NE: quem atira com a pólvora alheia não faz  a mira e não mede a distância - atira-se a esmo.Foi assim que nasceu a ideia de se plantar cana-de-açúcar nesta área, criando-se uma estrutura milionária (com o dinheiro público, empréstimos sem retorno), inclusive uma usina para moer a cana e produzir aguardente (e outros produtos da cana-de-açúcar); tudo ia muito bem, até que veio  seguidos anos de secas, ou melhor, com baixa oferta de chuvas (menor que 300L/m²) nos anos de 1.991, 92, 93, 95, 97,98, 99, inviabilizando a monocultura da cana-de-açúcar, e toda estrutura montada, inclusive os maquinários, tornou-se lixo; certamente nenhum empreendedor investiria nessa massa falida; foi aí que os proprietários, naturalmente orientados por cabeças políticas maquiavélicas, demoníacas, teve a ideia de CONVIDAR as pessoas de Riachuelo-RN para "invadirem" sua propriedade, e assim obrigar o governo federal a comprar a propriedade para o assentamento do INCRA, como de fato aconteceu, mas impôs uma condição: deveria ser comprada com a"porteira fechada", o que significa dizer que TUDO dentro da propriedade seria  avaliado, e convertido em moeda, inclusive as sucatas de  máquinas,  onde a ferragem da usina foi comprada por 1,5 milhões de reais, descontados do financiamento agrícola que seria feito às 240 famílias assentadas; Em tempo: essa ferragem da usina foi vendida no "ferro velho", no peso, em 2.002 por 150 MIL reais (10% do valor), mas o dinheiro da venda não se reverteu aos verdadeiros donos - os assentados que pagaram pelo lixo.