segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Educação ambiental.

No últimos 200 anos a agropecuária nordestina eliminou 90% da vegetação nativa da zona da mata; 60% no nordeste amazônio, e considerando-se que no semiárido existe uma área, chamada caatinga, semiárido natural do NE com 250.000km², a perda de massa orgânica vegetal no Nordeste é de 945.000 km²; A história da Humanidade está repleta de exemplos de povos, inclusive nas Américas, que enfraqueceram, ou desapareceram como povos, nações,  por terem eliminado a cobertura vegetal de seus territórios; O reino vegetal é autótrofo ao sintetizar energias da Natureza para formar, criar massa orgânica; o Vegetal tem tudo a ver com a formação e manutenção do solo orgânico mineral; é o principal ELO do Ciclo Alimentar da vida na Terra; a cobertura vegetal controla a umidade do ar, umidade do chão; controla a intensidade e direção dos ventos; controla a incidência e reflexão da luz solar ;   cobertura vegetal tem tudo a ver com a formação de nuvens e formação de chuvas; um corpo atrai outro corpo na razão direta das massas e na razão inversa da distância - quanto maior a densidade de massa vegetal por área, mais nuvens e mais chuvas são formadas; o semiárido do NE, que era a caatinga de 250.000 km² passou para 900.000 km²; a consequência mais grave foi a redução na oferta de chuvas, conforme sugerimos no quadro acima; outra causa da degradação bem visível, consequência do desmatamento com fogo, é a salinização das várzeas dos rios, e a eliminação do solo de cerrado; 200 anos foram necessários para este resultado caótico, mas ainda é possível ressuscitar-se o Nordeste com os valores de água doce (chuvas), de solo disponíveis.