sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Educação ambiental.

Leito seco do rio Potengi a pouca mais de 50 km da foz; nos anos de 2.008, 2.009 e 2.011 as grandes enchentes arrancaram as várzeas laterais, levando as barreiras do rio até as elevações que se vê ao fundo; no lugar das várzeas há uma camada de areia, confundindo com o leito do rio; por isto,  neste ponto a largura do rio passa de 100m; as várzeas dos rios do semiárido seriam as melhores terras agrícolas; até a década de 70 o rio Potengi tinha, no período das chuvas,  água corrente no seu leito, mesmo que  a oferta de chuvas fosse maior que 400 mm, 400 L/m², já que o terreno rígido (e desmatado), alto, das elevações que margeiam o rio é impermeabilizado, fazendo com que toda água da chuva precipitada escorresse para a calha; com isso levava areia, assoreando o rio, de modo que as enchentes se espalhavam pelas várzeas, arrancando-as, e cobrindo a área com terra;  a vegetação verde mostra que o rio não está totalmente morto.