quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Educação ambiental.

Na postagem anterior vimos que as queimadas e coivaras no NE trazem, além dos danos já mencionados em publicações especializadas, a criação do SALITRE que destruiu 80% das terras mais férteis do agreste RN - as várzeas dos rios temporários; nesta parede se vê que o reboco de areia e cimento caiu por que o tijolo está se esfarelando, se desintegrando: é o famoso salitre - nitrato de sódio criado e mantido pela agropecuária paleolítica nordestina (sempre com fogo); o salitre está na superfície da várzea e se expande de duas formas: levado pela água das chuvas para os riachos, rios, açudes, de tal forma que a areia do leito do riacho, usada na massa de cimento (do reboco, e do assentamento dos tijolos) tem SAL, desintegrando a liga do cimento; o salitre evapora com a presença do Sol intenso, sendo levado pelo vento para as áreas mais altas do que as várzeas dos rios, onde o OLEIRO tirou o barro (argila) para a confecção do tijolo; mesmo que o tijolo seja queimado (fornos de lenha com temperatura de 600ºC) o sal, salitre presente na argila vai absorver umidade (do ar e das chuvas), se desintegrando; Os desastres ambientais no NE tem como causa a Ação predadora do Homem e se constitui em um CICLO que afeta todos os Elementos da Natureza e suas variáveis atmosféricas.