segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Educação ambiental.

Olhando esse corte no aterro de lixo vemos que na superfície nasce predominantemente a planta mamona, que no NE é conhecida por carrapateira, tendo em vista que se fazia, artesanalmente óleo do grão, caroço da mamona para matar todo tipo de parasita no corpo do gado, tanto por fora,no couro+pelo, como por dentro, nos órgãos internos nos bichos; carrapateira = carrapato; as demais plantas verdes que se vê tem ciclo de vida curta, nasceram com as primeiras chuvas de 2.013, nessa área, e devem secar, morrer, desaparecer, ficando a MAMONA que pode viver dezenas de anos; condicionantes da mamona, com relação ao ambiente, chama a atenção de um "pesquisador ambiental": 1) ela só se faz presente no aterro de lixo; 2) no lixo urbano não deveria haver grãos de mamona para germinar; 3)por que nenhum outro arbusto conseguiria nascer e  viver na superfície do aterro de lixo; 4) a mamona, carrapateira é um dos poucos vegetais que NENHUM animal se aventuraria a comer qualquer parte do seu corpo, a não ser quando está seca, no caso, os cupins; 5) a madeira da mamona, celulose na raiz, na folha, no caule é boa de fogo quando seca: Tudo o que a Natureza cria é para servir - a mamona teria sido criada nos lixões urbanos para quando morrer, naturalmente, ou cortada pelo Homem, seja o combustível ideal para o incêndio no lixão? Mas se for uma ordem da Natureza há um erro: o lixão queimado é milhões de vezes mais danoso do que "enterrado" ou em cima do chão, à céu aberto; 6) a Mamona produz (na seiva e massa do grão) o óleo de rícino, altamente tóxico para todas as formas de vida, e certamente os grãos produzido por essa mata de carrapateiras vão se desintegrar pelas intempéries,produzindo óleo de rícino que vai contaminar também o solo; 7) resta saber se o óleo da mamona não é combustível, a exemplo da maioria dos outros óleos vegetais; 8) Já que o NE não pode se desvencilhar do seu lixo, dos lixões, aterros de lixo, e se a mamona produz um óleo de grande aplicação, inclusive para a produção de biodiesel, por que não colher os grãos da mamona que estão abundantemente em todos os lixões e aterros de lixos do RN?  E quando  "o pé de mamona" envelhecer, sem produção, deve ser arrancado para diminuir o fogo no LIXO  BR.