domingo, 24 de fevereiro de 2013

Educação ambiental

A fotografia mostra o plantio de abacaxi no município de Ielmo Marinho, em fevereiro de 2.013; Ielmo Marinho é agreste RN, mas como está  conectado à zona da mata RN (S. Gonçalo do Amarante) goza, nessa parte, de benefícios climáticos que  a parte do município mais afastada da zona da mata não tem; A área da fotografia próxima da zona da mata; Ielmo Marinho é conhecido no RN como a terra do abacaxi; o abacaxi é da família das bromeliáceas, primo ou irmão da macambira e ambas são muito bem adaptadas a semiaridez, já que o rizoma, parte comestível do abacaxi e da macambira, armazena muita água com pouca umidade do solo; a oferta de chuvas de 2.012 nessa área do abacaxi foi suficiente para mantê-lo vivo, e sua decadência tem provavelmente dois fatores a considerar; doenças; e/ou deficiência de nutrientes minerais no solo, a mais provável; para colher os nutrientes do solo, no verão de solo seco, a planta (todas) liberam água do corpo no solo, em torno das raízes; possivelmente o abacaxizeiro  da fotografia liberou toda água do corpo neste mister, sem sucesso; a deficiência de nutrientes no solo também causa doenças; por outro lado, é bom ressaltar que o prolongado verão, sem chuvas, de 2.012/13 concorre para aumentar a intensidade de luz solar, , intensidade de ventos secos (baixa umidade) que tiram toda água dos corpos de vegetais (e de animais); vamos conhecer também a macambira para comparar seu comportamento diante das mesmas condicionantes climáticas.