terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Educação ambiental;

Postado agorinha no Twitter:
-No sangue humano há mais de 80% de água, e mais de 90% na massa encefálica; sem cérebro não é gente, sem sangue não é animal;
-Não há como degradar um dos 4 elementos da Natureza sem afetar, a prazo, os outros 3; mas tudo começa pela água doce;
-Todos os elementos da litosfera são estranhos na água H²O; mas a água está presente em todos eles; são interdependentes como parte da Vida;
-Embora os elementos da Natureza sejam 4, toda degradação ambiental começa pela água doce, cuja fonte são as chuvas;
-Os microrganismos vivem na Terra em condições ambientais extremas; alguns insetos, animais, atingiram esse patamar evolutivo;
-A vida inteligente é onipotente, onipresente, onisciente; assim é incapaz de se auto-destruir;
-A vida inteligente é sobrenatural; não tem começo nem fim; vai além do contexto universal; é extraterrestre;
-O Homem é o único ser de matéria que porta vida inteligente no Universo que ELA criou, mas a vida inteligente sempre existiu, sempre existirá;
-Os Elementos da Natureza não são privilégio da Terra, mas somente na Terra eles estão na medida certa para a vida diversificada;
-A vida microscópica, microrganismos foi criada ou desenvolvida na Terra na água no estado gasoso, mas é a única que naturalmente está adaptada aos 3 estados da água;
-Em muitos corpos siderais tem minerais, gases, e pode ter microrganismos, mas se não tem água não tem vida animal e vegetal complexas;
-O Homem é meio instintivo, meio racional, produto do meio, por não ter auto-conhecimento, ciência e consciência latentes;
-O Homem (Humanidade) ainda não sabe de onde veio, para que veio, ou para onde vai; ainda é instintivo, ao invés de intuitivo; assim está perdido;
-Numa escala de 1 a 10 o conhecimento da Humanidade para com a Natureza é 3; o conhecimento de si mesmo é 2; está aquém da compreensão da vida;
-Quando a água potável da chuva se choca com a superfície da Terra, perde a identidade, adquire elementos estranhos, lixos;
-A vida é uma questão de equilíbrio; tudo de mais ou de menos é prejudicial; a medida certa está na racionalidade humana, sempre ausentes;
-bons hábitos alimentares são saudáveis, mas é na qualidade da água de "beber' e na respiração que está a qualidade de vida da gente;