domingo, 24 de fevereiro de 2013

Educação ambiental;

Flor da macambira; A macambira é planta da família das bromeliáceas prima ou irmã do abacaxizeiro, ambas bem adaptadas à baixa oferta de chuvas ( 300 a 500mm) do semiárido; a macambira e o abacaxizeiro são, pelo seu aspecto, mais próximos biologicamente dos cactos; armazenam muita água no rizoma e nas folhas; com exceção das raízes, os corpos do abacaxizeiro e da macambira são repletos de espinhos, naturalmente com a mesma função de reduzir a evaporação da água do corpo; a reprodução das bromeliáceas é feita pela "muda" da parte superior do rizoma que contém as folhas, mas a fotografia mostra, na realidade, outra forma de reprodução da macambira, comum também no abacaxizeiro; são sementes envoltas em um recipiente que, a exemplo das frutas, contém água, seiva e nutrientes para a germinação da semente, mesmo que as condições ambientais não sejam favoráveis, o que é mais comum já que a floração acontece no verão, sem chuvas. Existem bromeliáceas adaptadas a ambientes úmidos, mas a macambira e o abacaxizeiro não gostam de muita água e estão adaptados a terrenos pedregosos e lajedos; Os terrenos pedregosos do Nordeste são ricos (e inesgotáveis) de nutrientes minerais e são favoráveis a infiltração de água das chuvas entre os seixos, ou nas brechas dos lajedos. O rizoma, parte comestível das bromeliáceas, seria na realidade o CAULE por função e direito.