quinta-feira, 30 de maio de 2013

Educação ambiental.

Na postagem anterior vimos a exuberância do pasto que nasceu nessa área do agreste RN com cerca de 180mm, ou 180L/m² de água das chuvas de janeiro a maio de 2.013; aqui, na mesma área, a vegetação arbórea e arbustiva seca, cinzenta, morta, enquanto que as plantas rasteiras se revelam em plena vida; é provável que nenhum técnico, biólogo, engenheiro florestal, agrônomo possa ter uma resposta razoável,condizente com esse fenômeno; dsoriedem.blogspot.com   - educação ambiental científica vem desde o ínício deste trabalho estabelecendo valores, REAIS, entre a vida e os elementos naturais que constituem e regem a Ecologia e o Meio Ambiental do semiárido nordestino: 1) o volume água (doce) das chuvas para criar e manter uma planta no semiárido NE é de 5 litros por metro cúbico de massa vegetal, por dia, ou  1.825 litros X m³ X ANO. a vegetação dessa área é secundária (desmatada há 100 anos, ou mais) explorada exaustivamente até que o solo se esgotou por volta da década de 80 (1.980+) (e também por que o bicudo comeu o algodão, principal renda do nordestino) a vegetação é predominante jurema e marmeleiro; Essa área tinha vegetação ( e solo)de CERRADO com massa vegetal de 0,3m³ X m², e hoje, menor que 0,2m³/m²; Em 2.012 choveu menos de 150mm, ou 150L/m², durante a estação chuvosa reduzida para 90 dias; os 0,2m³ de massa vegetal necessita de 1L/m²/dia, ou 365 litros de água das chuvas por ano, um grande déficit de água; em 2.013 as plantas, hoje secas, já estavam morrendo, e mesmo que tivesse chovido mais de 500mm, não ressuscitariam; enquanto isto a massa vegetal de plantas rasteiras, pasto de vida curta, tem 0,1m³/m² de massa vegetal, necessita de 0,5 (1/2) litro de água por m², que nos 50 dias de vida (que essas plantas tem) precisaram de 25 L/m², ou 25mm de chuvas; receberam o dobro de chuvas nesse período; assim determinamos, cientificamente, a morta e a vida das plantas no semiárido.