terça-feira, 27 de novembro de 2012

Educação ambiental científica;

Quem acredita na vida não tem certeza da morte; aqui está o resultado de quem só acredita na morte; se alguém disser que a vaca que está sorrindo(na fotografia) não é a vaca que na postagem anterior estava no lixo, acertou; mas se disser que esta vaca não morreu por conta do lixo físico, ético, moral, psicológico, intelectual, cultural, ou que há exagero neste enquadramento; ou ainda, que este Blog  só  mostra o que está errado, dar prova cabal de que está vivendo em vão, que é nocivo à si mesmo, à Humanidade,  e a Deus. Qualquer pessoa com o minimo de sensibilidade ética, cívica, humanística se revoltaria contra o crime ambiental, social, financeiro que o governo brasileiro irresponsável, incompetente, está fazendo, principalmente no NE; Esta e outras vidas que estão morrendo no NE é comprada com dinheiro público; Todos os anos instituições como o PRONAF adquire esses animais para repor os que morreram no ano anterior, normalmente superfaturados, adquiridos de criadores mantidos com financiamentos do Governo, sempre a fundo perdido; se esta vaca chegou no assentamento do INCRA, paga pelo projeto do governo, por 600 reais, antes já havia custado 400 reais do financiamento público (a fundo perdido, ou perdoado) para o fazendeiro; para criar, alimentado e sadio, durante 700 dias (do nascimento até o porte do "abate" ou de "cria") um animal destes, com ração comprada, com mão-de-obra, gasta-se (custa) no mínimo 1.000 reais; significa dizer que o governo investiu (em 3 etapas) 2.000 reais no animal, mas não há retorno, já que apenas o fazendeiro recebeu 600 reais na venda da vaca para o "assentado" indefeso, frágil cultural e intelectualmente.